Artéria promove um mini-curso de agricultura urbana em Lisboa

Autor

Samuel Alemão
4 de Novembro, 2022

Com duas sessões, uma teórica e outra prática, a 26 de Novembro e a 3 de Dezembro, respectivamente, o workshop gratuito permitirá a todos os que tenham curiosidade darem os primeiros passos na actividade. Sem sairmos da cidade, poderemos aprender a cultivar alguns dos alimentos que comemos. No final do curso, fazer uma sementeira deixará de ser uma coisa estranha. E perceberemos a importância ambiental e social da prática. Basta ter vontade de aprender e trazer roupa e calçado adequados. Haverá enxadas para todos.

Para quem sempre teve a curiosidade, mas nunca ousou arregaçar as mangas, surge agora a oportunidade de pôr os pés na terra e dar os primeiros passos na plantação de alimentos na cidade de Lisboa. O projecto Artéria vai promover um workshop sobre agricultura urbana, com uma sessão teórica, a 26 de Novembro, e uma prática, a 3 de Dezembro, em sábados de manhã (10h30), ministradas por Sylvain Payon, especialista na área e também em educação ambiental.

O curso é gratuito, aberto aos leitores do Artéria/PÚBLICO, mediante inscrição prévia (email para secretariado@publico.pt, assunto “Workshop agricultura urbana”). Serão admitidos até 15 participantes – cada inscrição individual vale para o conjunto das duas sessões. Para a sessão prática, basta trazer roupa e calçado confortáveis para trabalhar no terreno. Todas as ferramentas necessárias serão disponibilizadas. O Artéria é um projecto de jornalismo comunitário dedicado a Lisboa, produzido pelo PÚBLICO com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

“Será uma oportunidade para as pessoas perceberem um bocadinho mais sobre o conceito, as potencialidades e oportunidades associadas à agricultura urbana, mas também as suas condicionantes e constrangimentos. Mas, sobretudo, será uma forma de começarem a fazer”, explica Sylvain Payon, que monitorizará os participantes nesta iniciação a uma actividade sobre a qual muita gente já ouviu falar, mas ainda não se decidiu a experimentar. Esta é a altura certa.

“Discutiremos a relevância social, ambiental e económica desta prática, e as suas implicações em questões tão importantes como a soberania alimentar, a paisagem na cidade ou a própria tangibilidade desta actividade”, esclarece o especialista, relevando o “enquadramento holístico” da abordagem. “No fundo, veremos o que agricultura urbana pode trazer às pessoas e às comunidades, respondendo ainda às limitações dos espaços verdes tradicionais”, diz.

A sessão prática, a 3 de Dezembro, sob o mote “Uma horta natural na cidade”, permitirá aos participantes terem uma aula e uma experiência de jardinagem natural. A atividade decorre no Parque Hortícola do Bairro 2 de Maio, na Ajuda, no espaço de horta pedagógica do projeto “Horta 2 de Maio”. Serão ali realizadas plantações, sementeiras e a manutenção dos espaços de cultivo da horta pedagógica pelos participantes.

Para esta aula, que será de três horas (entre as 10h30 e as 13h30), Sylvain salienta que apenas se pede aos participantes que venham munidos de “sapatos resistentes e confortáveis, para pisarem a terra, e um corta-vento ou chapéu-de-chuva”, para o caso das condições meteorológicas o pedirem. Além disso, uma garrafa de água e algo para comer também serão aconselháveis.

Antes dessa sessão prática, porém, haverá uma aula teórica, a 26 de Novembro, nas instalações da Casa do Impacto (Travessa de São Pedro 8, no Bairro Alto). Quem se inscrever assistirá a uma palestra de duas horas que pretende introduzir conceitos e enquadramentos práticos para a criação e a manutenção de uma horta sustentável, seja em casa (horta em varandas e pátios) ou em hortas urbanas.

No final dessa sessão, haverá lugar a uma breve actividade prática com os inscritos, que consiste na realização de uma sementeira. Cada participante levará consigo material e recomendações para cultivar aromáticas em casa (salsa e coentros).

O curso é gratuito, aberto aos leitores do Artéria/PÚBLICO, mediante inscrição prévia (email para secretariado@publico.pt, assunto “Workshop agricultura urbana”). Máximo de 15 participantes. Cada inscrição individual vale para o conjunto das duas sessões.

Pin It on Pinterest